Audio tour

Audio tour ROTA 7. Uma caminhada através das devoções

QR code

2 sights

  1. Audio tour Summary
  2. Audio tour Summary

    A espiritualidade e a tradição permanecem intactas, em sintonia com as diferentes liturgias da passagem do tempo, em perfeita harmonia com o ambiente natural, o que deu origem ao milagre económico e cultural do prado, uma terra onde a devoção, a festividade e a onomástica são nomeadas no feminino virginal da Guia Mãe, Lua, Piedrasantas, Peña ou Vereda, como nos versos e no universo de Juana Castro. A extensão dos seus cultos tem uma das suas maiores expressões devocionais nos numerosos altares e camarins, guardiões de requintados bordados em "fio dourado", mantos delicados e ourivesaria excepcional, coroas e varinhas de prata, estas últimas um legado da riqueza e exploração das suas minas, que atingiram o seu auge no período ibérico-romano.

    Caminhar pelos templos e ruas, os eremitérios e caminhos do Vale de Los Pedroches é entrar numa viagem às origens da espiritualidade popular, às tradições e ritos, ao reinado das Virgens Andaluzas que, como a palavra de Juana Castro, nos leva de volta à mãe terra, à feminilidade e fertilidade primordiais, ao despertar da primavera e suas festividades, à vida desde a génese da memória sagrada no final. Trata-se de redescobrir a Mesopotâmica Inanna a Maria Santíssima, dos cultos ancestrais a Deus, que em tempos foi mulher, quando a gestação e a vinda à vida eram entendidas como um prodígio exclusivamente feminino.

    No início
    Só Ela existia.
    Humedecida e doce, branca,
    ela amava-se na sombra
    saliva das algas,
    nos seios vedados das trufas,
    nos púbicos moles dos melros. [...]
    !Glória e louvor a Ela,
    ao seu ventre vivo de pistilos,
    à sua orquídea feros e à sua cintura! (1)

    Este passeio faz parte de um Percurso Emocional com Juana Castro através de Los Pedroches, que pretende mergulhar-nos nas paisagens rurais e sentimentais do paraíso onírico que inspira a prolífica produção literária desta poetisa, académica, colunista, crítica literária e professora de várias gerações de escritores contemporâneos.

    Nascida em Villanueva de Córdoba (Los Pedroches, 1945), Juana Castro foi pioneira na reivindicação do feminino no mundo rural e na história, a partir de uma terra - a sua - em que a devoção, a festividade e a vida quotidiana assumem a forma de mulheres.

    A sua voz, invulgar e romântica, forma um singular inverso poético que nos chega endossado por inúmeros títulos, prémios literários e reconhecimento, desde a sua primeira colecção de poemas Cóncava mujer (1978) até Antes que el tiempo fuera (2018). Foi distinguida, entre outros, com a Medalha da Andaluzia (2007) ou com o Prémio da Crítica Nacional (2010).

     

    (1) Castro Muñoz, Juana. Inanna. 'En Narcisia'. 1986.

     

    Textos espanhol: Matilde Cabello

    Tradução: Sérgio Sampaio de Carvalho

    Locução: Carlos Flores

    Fotos fornecidas por: 

    ·   Ayuntamiento de Alcaracejos

    ·   Ayuntamiento de Añora

    ·   Ayuntamiento de Belalcázar

    ·   Ayuntamiento de El Viso

    ·   Ayuntamiento de Hinojosa del Duque

    ·   Ayuntamiento de Pedroche

    ·   Ayuntamiento de Pozoblanco

    ·   Ayuntamiento de Villanueva de Córdoba

    ·   Ayuntamiento de Villanueva del Duque

    ·   CIET Los Pedroches

    ·   Mancomunidad de Los Pedroches

    ·   Parque Natural Sierra de Cardeña y Montoro 

    ·   Patronato de Turismo de Córdoba

  3. 1 Paragem 1. A pradaria de Jara
  4. 2 Paragem 2. Padroeira de quatro aldeias e Guía
  5. 3 Paragem 3. O Espírito do Vale
  6. 4 Paragem 4. São Sebastião e o culto do fogo
  1. Audio tour Summary

    A espiritualidade e a tradição permanecem intactas, em sintonia com as diferentes liturgias da passagem do tempo, em perfeita harmonia com o ambiente natural, o que deu origem ao milagre económico e cultural do prado, uma terra onde a devoção, a festividade e a onomástica são nomeadas no feminino virginal da Guia Mãe, Lua, Piedrasantas, Peña ou Vereda, como nos versos e no universo de Juana Castro. A extensão dos seus cultos tem uma das suas maiores expressões devocionais nos numerosos altares e camarins, guardiões de requintados bordados em "fio dourado", mantos delicados e ourivesaria excepcional, coroas e varinhas de prata, estas últimas um legado da riqueza e exploração das suas minas, que atingiram o seu auge no período ibérico-romano.

    Caminhar pelos templos e ruas, os eremitérios e caminhos do Vale de Los Pedroches é entrar numa viagem às origens da espiritualidade popular, às tradições e ritos, ao reinado das Virgens Andaluzas que, como a palavra de Juana Castro, nos leva de volta à mãe terra, à feminilidade e fertilidade primordiais, ao despertar da primavera e suas festividades, à vida desde a génese da memória sagrada no final. Trata-se de redescobrir a Mesopotâmica Inanna a Maria Santíssima, dos cultos ancestrais a Deus, que em tempos foi mulher, quando a gestação e a vinda à vida eram entendidas como um prodígio exclusivamente feminino.

    No início
    Só Ela existia.
    Humedecida e doce, branca,
    ela amava-se na sombra
    saliva das algas,
    nos seios vedados das trufas,
    nos púbicos moles dos melros. [...]
    !Glória e louvor a Ela,
    ao seu ventre vivo de pistilos,
    à sua orquídea feros e à sua cintura! (1)

    Este passeio faz parte de um Percurso Emocional com Juana Castro através de Los Pedroches, que pretende mergulhar-nos nas paisagens rurais e sentimentais do paraíso onírico que inspira a prolífica produção literária desta poetisa, académica, colunista, crítica literária e professora de várias gerações de escritores contemporâneos.

    Nascida em Villanueva de Córdoba (Los Pedroches, 1945), Juana Castro foi pioneira na reivindicação do feminino no mundo rural e na história, a partir de uma terra - a sua - em que a devoção, a festividade e a vida quotidiana assumem a forma de mulheres.

    A sua voz, invulgar e romântica, forma um singular inverso poético que nos chega endossado por inúmeros títulos, prémios literários e reconhecimento, desde a sua primeira colecção de poemas Cóncava mujer (1978) até Antes que el tiempo fuera (2018). Foi distinguida, entre outros, com a Medalha da Andaluzia (2007) ou com o Prémio da Crítica Nacional (2010).

     

    (1) Castro Muñoz, Juana. Inanna. 'En Narcisia'. 1986.

     

    Textos espanhol: Matilde Cabello

    Tradução: Sérgio Sampaio de Carvalho

    Locução: Carlos Flores

    Fotos fornecidas por: 

    ·   Ayuntamiento de Alcaracejos

    ·   Ayuntamiento de Añora

    ·   Ayuntamiento de Belalcázar

    ·   Ayuntamiento de El Viso

    ·   Ayuntamiento de Hinojosa del Duque

    ·   Ayuntamiento de Pedroche

    ·   Ayuntamiento de Pozoblanco

    ·   Ayuntamiento de Villanueva de Córdoba

    ·   Ayuntamiento de Villanueva del Duque

    ·   CIET Los Pedroches

    ·   Mancomunidad de Los Pedroches

    ·   Parque Natural Sierra de Cardeña y Montoro 

    ·   Patronato de Turismo de Córdoba

Reviews

A minimum rating of 1 star is required.
Please fill in your name.

Sponsors of this tour

Create your own audio tours!

Use of the system and the mobile guide app is free

Start

App preview on iOS, Android and Windows Phone